quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Minha evolução patrimonial


______Nessa postagem mostrarei para vocês minha evolução patrimonial até o mês de outubro de 2019. A próxima postagem será o primeiro fechamento mensal do Blog, oportunidade na qual mostrarei o aporte, a alocação, e o novo desenho patrimonial.

______Posso dizer que comecei efetivamente no mundo das finanças no ano de 2019. Como já disse quando contei um pouco da minha história, comecei a me preocupar com dinheiro final do ano de 2016, mas o início de tudo só viria cerca de um ano depois quando, em janeiro de 2018 comecei de forma incipiente a salvar alguma grana do consumismo.

______Mas controlar efetivamente somente a partir de 2019, pois antes eu só tinha CDB com liquidez diária do Banco Inter, ou seja, não havia muito o que controlar, rs.

______Bom. Como disse pra vocês, sou um "psicopata do planejamento", então eu controlo meus investimentos por três meios: 1) uma planilha que uso no google sheets que foi elaborada por mim  (e só eu entendo, rs); 2) aplicativo Kinvo (www.kinvo.com.br); e 3) Meus Dividendos (www.meusdividendos.com.br).

______De uma forma geral, gosto bastante das três ferramentas. Depois de muito pesquisar, elas me parecem as melhores. Se tivesse que escolher somente uma, ficaria com a minha planilha, pois ela é perfeita para as minhas demandas. Em segundo lugar ficaria o Kinvo, que melhorou muito desde que comecei a usar. Em terceiro lugar ficaria o meusdividendos, porque embora seja uma ótima ferramenta, não tem como cadastrar renda fixa a princípio (e o cadastro é extremamente complicado), portanto serve somente para renda variável.

______Aqui com vocês tentarei usar mais os gráficos do Kinvo, porque são bem bonitos. Às vezes mesclarei com minha planilha.

______Vamos lá.

______A primeira que compartilho é a evolução patrimonial propriamente dita. Do lado esquerdo em gráfico (Kinvo) e do lado direito em excel (google sheet):


______Como podem ver, o ano de 2018 foi instável, mas foi bom por ter sido o primeiro que eu realmente consegui tornar-me superavitário (ganhei mais do que gastei).

______Até dezembro de 2018, apesar de já ter certo capital investido (aproximadamente R$ 25.000,00), eu não tinha nenhuma meta de valor de aporte mensal ou anual.

______Quando 2019 começou, minha meta anual passou a ser R$ 100.00,00, cerca de 80% do meu salário líquido. Como podem ver, já ultrapassei essa previsão, eis que atualmente já consegui poupar nesse ano cerca de R$ 107.000,00.

______Mas não se assustem: eu vendi minha moto em setembro deste ano, então tive um aporte "não recorrente" de R$ 24.000,00. Logo, ainda estou perseguindo a meta, eis que descontando esses R$ 24.000,00, até o mês de outubro aportei somente cerca de R$ 83.000,00.

______No gráfico de "aporte previsto" versus "aporte realizado", temos o seguinte:


______Prosseguindo...

______Como disse antes, durante todo 2018 eu só investi em CDB do Banco Inter com liquidez diária (100% do CDI). A partir de 2019 eu comecei a investir em renda variável e descobri uma grande paixão.

______Dito isso, abaixo mostrarei a minha rentabilidade ao longo desse período (Kinvo):




______A última parte que gostaria de mostrar por hora (na próxima postagem, que será referente ao fechamento do mês de novembro, vou compartilhar tudo aqui: valores, composição da carteira, preço médio, divisão entre RF e RV, FIIs e ações, reserva de oportunidade, etc.) é referente aos proventos recebidos por mês.

______Como estou em fase de acúmulo patrimonial e como me identifico mais com ações, eu foco nessa classe de ativo, sendo que minha carteira "meta" em renda variável é 75% ações e 25% Fundos Imobiliários (FIIs).

______Meus proventos durante o ano de 2019, que iniciei na renda variável, foi o seguinte:


______O que achei interessante é que a linha de tendência está numa ascendente, o que demonstra a consistência no recebimento de proventos, embora não seja esse o foco no momento, mas sim o crescimento patrimonial.


______Bom, por hora é só. Espero que tenham gostado dessa trajetória traçada até o mês passado. Na próxima postagem trarei o tão esperado (pelo menos por mim, rs) fechamento do mês de novembro de 2019.

______Aguardo vocês lá.

domingo, 24 de novembro de 2019

Como conseguir até 30% de desconto no pagamento de impostos



______Estamos em novembro e esse é o mês da black friday. Essa é a época do ano que mais somos bombardeados de (supostas) promoções. Pra mim, é hora de ativar a máxima de que se eu não comprar o desconto é maior. Foco! Quando temos foco e sabemos onde queremos chegar, se manter no trilho parece mais fácil.

______Aproveitando esse clima de "black fraude" e também o fim do ano, vamos tratar nesse tópico sobre algo que nos acompanha durante a vida toda: os famigerados impostos.

______Já diz a (nunca) velha frase: se temos duas certas é que a primeira morreremos e a segunda pagaremos impostos.

______Mas se por um lado ainda não haja meio (lícito) para fugir do pagamento deles, podemos encontrar meios para tentar diminuir o impacto financeiro deles em nossas vidas.

______Abaixo vou compartilhar alguma das minhas estratégias para reduzir os valores especificamente do IPVA e do IPTU. Também existem algumas estratégias para diminuir as cargas dos impostos nos investimentos, mas isso podemos abordar no futuro em outra postagem.

______Ah, uma observação: a postagem contém alguns termos jurídicos (nada complicado), afinal não esqueçamos que somos um investidor direito. 😉

IPVA

______O IPVA é o "imposto sobre a propriedade veículos automotores". De acordo com o entendimento do poder judiciário, o IPVA incide somente sobre veículos a motor de propulsão que circulem por vias terrestres. Logo, pagam IPVA todos os veículos terrestres. Existem algumas exceções, mas são poucas.

______Como é um imposto estadual, a alíquota do IPVA varia de estado para estado. No que eu moro, as alíquotas são 2% para veículos com motor até 1.0 e 3% para veículos com motor acima dessa litragem, sempre calculadas em cima do valor da tabela de referência (FIPE).

______Meu carro é 1.3, logo pagarei 3% de IPVA em cima do valor da FIPE dele, e isso é inevitável. Agora vamos às dicas para reduzir o valor final a ser pago:

______1) Alguns estados (como é o caso de onde moro) concedem desconto para pagamentos à vista. Logo, é importante que se faça um planejamento orçamentário no ano anterior para ter o dinheiro do IPVA à vista e, assim, conseguir uma barganha de excelentes 10%.
______2) Cumulativamente a isso, alguns estados aderiram à campanha de bons condutores. Funciona da seguinte forma progressiva: 
______a) se o proprietário e o veículo não tiverem multas nos últimos 3 anos, são concedidos 20% de desconto; 
______b) se o proprietário e o veículo não tiverem multas nos últimos 2 anos, são concedidos 15% de desconto; e 
______c) se o proprietário e o veículo não tiverem multas no último ano, são concedidos 10% de desconto.
______Interessante que nesse item você pode economizar duas vezes: não tomando multa e conseguindo desconto proporcional no imposto de renda. Como tenho carteira há 10 anos e nunca tomei uma multa, sempre consigo o desconto máximo de 20%.

______Resultado: economia de 30%.


IPTU

______O IPTU é o "imposto predial e territorial urbano". Esse imposto recai sobre a propriedade de um imóvel em área urbana (casa, apartamento, sala comercial ou qualquer outro tipo de propriedade em uma região urbanizada). A competência para cobrá-lo é do município.

______Como é um imposto municipal, a alíquota de sua incidência também varia de município para município. No município que moro, existem diversas alíquotas e o assunto debanda para uma área mais jurídica do que gostaria, então vou me limitar a dizer que, no meu caso, a alíquota incidente é ordem de 0,9% em cima do valor venal do imóvel. 

______O valor venal é calculado pela própria prefeitura e há um anexo na lei que trata sobre o tema. É um cálculo afeto à engenharia. Não temos muito o que fazer, pois o valor que vier cobrado deverá ser pago, certo? 

______Então vamos à forma de tentar diminuir o valor a ser pago. Na mesma estratégia usada no pagamento do IPVA.

______1) A primeira dica é que algumas pessoas têm direito à isenção de IPTU. Como dito, o imposto é de competência municipal, e eu sugiro a você a pesquisa de quais as condições na sua cidade. A título de exemplo, as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte concedem isenção a quem é pensionista ou aposentado. Há casos em que a isenção também se estende a doentes, ou a imóveis pequenos, etc. Consulte, pois às vezes uma atitude dessas nos poupa uma boa grana!
______2) Pesquise se seu município concede descontos para pagamentos à vista, se sim, planeje-se para pagar à vista. Além de dar tranquilidade e fluxo de caixa livre, está cada vez mais difícil de garantidamente conseguir esse retorno em um investimento sem risco. Aqui no meu município o desconto para pagamento à vista é de 10%, ou seja, 180% do CDI. Sempre que possível, pague à vista.
______3) Algumas cidades concedem abatimento no valor do IPTU quando o contribuinte apresenta nota fiscal de serviço que tenha feito nos últimos 5 anos. O abatimento costuma ser de 20% em relação ao valor total da nota, limitado a 50% de desconto no valor total do IPTU. A única regra que costuma ser prevista é estar adimplente com o fisco, ou seja, não pode ter nenhum IPTU atrasado. Boa iniciativa que nos faz não ficar inadimplente com o fisco e estimula pedir nota fiscal de serviços, além de conseguir um baita desconto de até 60% (50% de abatimento mais 10% de desconto para pagamento à vista).

______Resultado: 60% de desconto.

______Hoje vimos como conseguir desconto de 30% a 60% no pagamento de impostos. Você sabia que isso era possível? Se sim, compartilhe abaixo sua experiência e não esqueça de enviar essa postagem os amigos.

______Sem dúvidas é um fôlego muito grande aos investimentos.

______Até a próxima!

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Metas financeiras para 2020!

______No últimos dois posts, comentamos sobre o planejamento financeiro para o ano vindouro. Nesse, gostaria de falar sobre metas financeiras e compartilhar quais as minhas para 2020. Vamos lá?


______
______Inicialmente, vou dizer o que penso sobre a distinção entre meta e planejamento. Essa diferenciação não é acadêmica e não tem cunho científico. É só a forma como penso o assunto.

______A meta é o nosso objetivo,  é o alvo. O planejamento, por sua vez, é traçar qual caminho será utilizado para chegar à meta almejada.

______Há quem prefira estabelecer primeiramente as metas e em cima delas traçar o planejamento e há quem goste de fazer o planejamento para depois traçar as metas.

______Penso que não tenha certo ou errado. Na seara das finanças, particularmente prefiro primeiro fazer o planejamento para depois partir às metas. Explico.

______Quando faço meu planejamento, consigo projetar claramente minhas receitas, minhas despesas e o que sobrará para investir. Consigo com razoável certeza observar onde consigo chegar e onde posso me desafiar a ir mais longe.

______E é aqui que entram as metas: não é porque foi feito antes o planejamento que são estabelecidas metas fáceis de serem alcançadas. Agora é o momento de estabelecer metas ousadas e difíceis, desde que sejam alcançáveis.

______Não se parece fazer sentido, mas é o racional por trás de como ajo.

______Bom. Ainda não compartilhei meu patrimônio atual, então vocês ainda não sabem o ""ponto de partida"". Fiquem tranquilos, farei isso no primeiro dia de dezembro. (e acho que até lá ninguém terá lido esse post, então tudo certo, rs)

______Sei que o ano ainda não acabou, mas com pouco mais de 30 dias para o fim, já me sinto confortável de traçar as seguintes metas financeiras para o ano de 2020:

______1) Aportar o montante mínimo de R$ 100.000,00;
______2) Chegar ao montante emblemático 1/4 de milhão (R$ 250.000,00) em AGOSTO;
______3) Terminar o ano com total investido de R$ 300.000,00.

______Dessas três metas, com certeza a última é a mais ousada e dependerei da ajuda da renda variável para alcançá-la, e mesmo assim, possivelmente não chegaremos lá. Mas, como eu disse antes, mantenhamos metas difíceis e instigantes. Caso não dê, de 2021 não passará.


______Por hoje é isso! Quais suas metas financeiras para 2020?

______Até a próxima.

domingo, 17 de novembro de 2019

Minha planilha orçamentária para 2020



______Como a ideia é compartilharmos experiências, dedico esse post a mostrar meu planejamento orçamentário para o ano de 2020, pois é aqui onde planejamos o que plantar para colhermos no próximo ano.

______Vamos lá.

______De início, já aviso que minha vida financeira é extremamente simplificada e que, por isso, minha planilha também é.

______Lembram que no post passado falei que sou o psicopata do planejamento? Pois é. Relembrando, eu tenho duas planilhas: uma para investimentos e outra para gastos.

______A de gastos é extremamente simples, pois não preciso de nada sofisticado. Já na parte dos investimentos, minha planilha tem sete abas, doze gráficos, tem backup em 4 lugares diferentes e é extremamente pesada. Mas a planilha dos investimentos é assunto para um post futuro de fechamento mensal, que publicarei em breve. Aguardem.

______Sem delongas, vamos à planilha.


Como podem ver, mês a mês eu estimo os valores que gastarei, vejamos:
______1) Condomínio: aqui é fácil. Não tem erro.
______2) Energia: nesse item eu pego a média de consumo e coloco um acréscimo de 10%.
______3) Cartão de Crédito: esse valor de R$ 550,00 é a estimativa de gasto mensal. É o valor máximo que eu me proponho a gastar no meu cartão de crédito com coisas variadas (supermercado, compras esporádicas, iFood, etc.).
______4) Diarista: pago uma diarista para vir uma vez por mês fazer uma limpeza geral. A manutenção semanal eu mesmo faço. Quando vou estimar o valor a ser pago no ano seguinte, geralmente coloco um aumento de 10% também. Se ele ocorrer, eu estou preparado, se não, corrijo a planilha e mais dinheiro no bolso.
______5) Academia: aqui também é fácil, pois basta fazer a previsão.
______6) IPVA: eu gosto de pegar sempre o valor exato do ano anterior, pois sempre o valor diminui e pelo menos eu já tenho uma margem de erro. No futuro darei dicas de como economizar até 30% no valor do seu IPVA.
______7) Anuidade OAB: aqui também é só fazer a previsão pela tabela já disponibilizada.
______8) Manutenção do carro: aqui costumo prever o valor que prevejo gastar com o carro. Normalmente meu carro não me dá muita despesa (é um toyota), mas no ano de 2020 ele chegará ao quarto ano de idade e terei alguma manutenção para fazer: trocar os pneus, trocar todos os fluidos, pastilha de freio, etc. Tenho certeza que gastarei menos que isso, mas lembram que gosto de pecar pelo excesso? É melhor ser surpreendido positivamente.
______9) Comida + Gasolina: esse é um valor que eu costumo separar todo mês para gastar com gasolina e comida fora de casa com minha namorada. Percebam que no mês de novembro (que é referente ao que usarei no mês de dezembro) eu já prevejo um aumento, porque fim de ano todos os gastos por aqui aumentam. Esse tipo de aumento também é importante prever, pois é uma coisa que acontece comigo todo ano, então não dá para chamar de "imprevisto", certo?
______10) Doação: esse é um dinheiro que separo todo ano para doar. Sem dificuldades por aqui.
______11) Viagem: não pretendia fazer nenhuma viagem em 2020, mas como apareceu um casamento em outra cidade e que, provavelmente, eu e minha namorada seremos os padrinhos, é uma despesa que não poderei desconsiderar. O valor previsto é o valor máximo a ser gasto.
______12) Corte Cabelo: é o valor que gasto com cabeleireiro. Sim, deveria comprar uma máquina e eu mesmo fazer. Vou pensar sobre isso no futuro, rs.
______13) Celular: ano que vem meu iPhone completa incríveis SEIS anos de vida, mas já a parti deste ano (2019), ele não receberá mais atualização da Apple, o que dificultará a permanência com ele. Sendo assim, já provisionei um valor a ser gasto com celular. Possivelmente eu não vá comprar um iPhone, porque eu não utilizo muito celular já que prefiro computador (whatsapp web é vida, rs).

______Esse é o planejamento orçamentário que faço todo final de ano para o ano seguinte. É simples porque atualmente minha vida se encontra extremamente simplificada.

______Cada um de nós estamos em um momento de vida e para cada um deles a planilha deve se adaptar. Essa planilha, por enquanto, tem servido bastante. No futuro quando casar, tiver filho, escola, etc. etc., creio que ela será insuficiente e precisarei modificá-la.

______É o que eu costumo brincar: atualmente estou focado no no acúmulo de capital e, por isso, a planilha de investimentos é muito mais robusta. No futuro, quando eu estiver focado em gastos que inevitavelmente começarão a aparecer, aí é a hora de trocar os papéis, rs. 

______Por enquanto manterei assim.

______E vocês, leitores, têm alguma dica? Gostariam de compartilhar opiniões e contarem como fazem a planilha de vocês e opinarem sobre a minha? É muito interessante essa troca de informações.

______Até a próxima!